Diagnóstico por Imagem

Incidências Oblíquas das Mãos para Avaliar Alterações Ósseas Degenerativas

Posicionamento Radiológico das Mãos - Incidências Oblíquas das Mãos para Avaliar Alterações Ósseas Degenerativas

Olá pessoal, tudo bem? A  artrose é um desgaste da cartilagem que reveste as articulações, também pode ser chamada de osteoartrose degenerativa das cartilagens articulares.

Osteoartrite é uma inflamação considerada doença reumática mais comum das articulações que resulta de uma interação complexa entre integridade da articulação. Os locais de maior acometimento são as mãos, coluna vertebral, pés, joelhos e quadril.

Os raios-x das mãos podem demostrar estas alterações, principalmente quando existe redução dos espaços articulares, calcificações e formações de osteófitos.

As incidências posteroanteriores e oblíquas são fundamentais para detecção destas alterações.

A escolha da oblíqua em supinação poderá demostrar melhor as articulações.

Obíqua PA em Pronação

posicionamento radiológico - mãos
posicionamento radiológico – mãos

Técnica

Posicionar o paciente sentado junto a extremidade da mesa com o antebraço estendido ou cotovelo fletido a 90 Graus, com a mão e o antebraço apoiados sobre a mesa, pronar a mão sobre o receptor de imagem (RI);

Girar a mão e o punho 45 graus em relação ao RI;

RC perpendicular, direcionado para a terceira articulação metacarpofalangeana (MCF);

Utilizar RIs – 24/30 ou 18/24 cm;

Foco Fino

Mínimo 100 cm

Fatores de exposição –  kVp: 42-46;  mAs: 2-4

Oblíqua AP em Supinação, Método de Norgaard, Posição do Goleiro, Suplica ou Catch Ball

Técnica

Posicionar o paciente sentado junto a extremidade da mesa com o antebraço estendidos;

Mão em supinação com os dedos obliquados a 45 graus em relação ao RI;

Mão posicionada como se estivesse apanhando uma bola;

RC perpendicular, direcionado para um ponto no centro das

mãos aproximadamente ao nível das quintas articulações MCF;

RI – 24/30 ou 18/24 cm;

Foco fino;

Minimo 100 cm

Fatores de exposição – kVp: 42-46;  mAs: 2-4;

UTILIZAR EPIs EM AMBAS AS INCIDENCIAS

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo