Crônicas

Preciso Mudar?

Se Não Sabe Responder Esta Pergunta, Veja este Artigo

Dois navios de guerra americanos, realizando uma missão de treinamento da esquadra, estavam no mar havia vários dias, enfrentando mal tempo durante as manobras. Eu servia no navio líder, e estava de sentinela na ponte ao cair da noite. A visibilidade era quase nula devido ao nevoeiro, de modo que o capitão permanecia na ponte atento a todas as atividades.

Pouco depois de escurecer, o vigia da ponte avisou:

– Luz à proa, à boreste.

– Parada ou movendo-se para a popa? – Perguntou o capitão.

– Parada, capitão – o vigia retrucou.

Significava que estávamos em perigo, em rota de colisão com o outro navio.

Imediatamente o capitão chamou o sinaleiro:

– Avise aquele navio: estamos em rota de colisão. Altere o curso em 20 graus.

– É melhor vocês alterarem o curso em 20 graus – A resposta veio logo.

– Envie a mensagem: “Aqui é o capitão, mude a rota em 20 graus” – o capitão retrucou.

– Aqui é um marinheiro de segunda classe. – Foi a resposta. – É melhor vocês alterarem o curso em 20 graus.

– Envie a mensagem: “Este é um navio de guerra. Mude o curso em 20 graus” – o capitão, àquela altura, já furioso, disse rangendo os dentes.

– Este é um farol terrestre – o homem sinalizou de volta.

…Nós mudamos o rumo.

(Frank Koch em Proceeding, revista editada pelo Instituto Naval Americano)

Preciso Mudar
Preciso Mudar

A inusitada mudança de visão experimentada por aquele capitão, e por nós ao lermos este relato, demonstra o quanto podemos estar enganados ao insistirmos com determinados pontos de vista. Essa experiência, apesar de parecer simples, trás em si muitos ensinamentos, sendo o principal deles, a necessidade de mudança, por percepção voluntária ou involuntária, se quisermos continuar de pé.

Quantos de nós já não experimentamos algo parecido. Quantos de nós já não nos sentimos cheios de poder e autoridade, seguindo firmes os nossos passos, deixando claro que a mudança tem que partir do outro, e não de nós. Quantos de nós já não assumimos a firme posição de que é o “continente”, e não nós, que precisa mudar. Sabe aquele tipo: “Você sabe com quem ta falando?”.

Preciso Mudar
Preciso Mudar

Quantos de nós temos agido desta maneira: orgulhosos, presunçosos, soberanos, cheios de si, mantemos o rumo da nossa vida, ainda que esta nos mande exaustivos sinais de que precisamos mudar urgentemente nosso curso.

Insistimos sempre na mesma estratégia, no mesmo jeito, nos mesmos hábitos, nos mesmos valores, nas mesmas verdades, e nada de novo acontece; a vida continua do mesmo jeito, como se não tivéssemos sequer saído do lugar, e isso, por que somos otimistas, “somos brasileiros, e não desistimos nunca”.

Na verdade quando vemos a nossa geladeira não gelando mais, nosso fogão não esquentando mais, nossa máquina de lavar não lavando mais, nosso carro não andando mais, começamos então a perceber que não avançamos, simplesmente andamos de lado ou o que é pior, andamos para trás. Os anos vão passando e o porto nunca chega.

Ao longo da minha vida tenho visto muita gente batendo no peito e com aquele ar de “ser superior” dizendo: “Eu tenho personalidade, eu não mudo meu modo de pensar!”.

Ao longo da minha vida tenho visto muita gente deste tipo sofrerem a condenação do tempo, suave e lento, quase imperceptível, porém implacável. Sustentam posições simplesmente por que não querem transparecer qualquer sinal de fraqueza, consolidando para si um orgulho tal que, como se estivessem em meio ao mais denso nevoeiro, são conduzidos cega e inevitavelmente contra as rochas do fracasso, das crises existenciais e da infelicidade.

É um tremendo erro imaginar que o fato de mudar um ponto de vista ou mesmo a maneira de agir sobre determinado assunto ou questão possa representar fraqueza, muito pelo contrário, trata-se de um ato de coragem, determinação e grandeza.

Num mundo tão dinâmico como o que estamos vivendo, a palavra de ordem é justamente essa: “mudança”. A velocidade com que somos impactados pelas novas tecnologias, pelas novas descobertas, pelos novos conceitos, pelos novos valores, pelas novas verdades, é impressionante – aquilo que era, hoje já não é mais.

Recentemente descobriu-se que um antigo vilão do colesterol acaba de ser absolvido. Trata-se do ovo, mais especificamente, da gema. Algum tempo atrás havia sido o nosso cafezinho, amplamente condenado por muitos anos, descobriu-se, para nossa alegria, que o mesmo possui efeitos benéficos para o coração. Dá pra acreditar?!

Mudar é se permitir ver o mundo sob nova perspectiva. É se permitir aprender, descobrir, enxergar. Mudar é ser forte, pois só os fortes conseguem mudar. “Mudar dói, mas não mudar, dói muito mais”, nas palavras de Oswaldo Montenegro.

Seja Feliz!
Seja Feliz!

Para mudar precisamos responder a três perguntas básicas: O que eu faço, que preciso deixar de fazer? O que eu não faço, que preciso passar a fazer? O que eu faço, que preciso fazer melhor?

Mudar é preciso! Então MUDE, e seja feliz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo