Diagnóstico por Imagem

Radiografia da Hipofaringe, Saiba Tudo Sobre o Exame

Conheça as Aplicações e Objetivos da Radiografia da Hipofaringe

Tudo bem pessoal? O objetivo do estudo radiológico da hipofaringe é avaliar a forma e a função das estruturas, bem como detectar quaisquer condições anormais.

Algumas Indicações para o Estudo Radiológico da Hipofaringe:

  • Investigação de disfagia alta;
  • Distúrbios da motilidade;
  • Neoplasias;
  • Revisão Anatômica;
  • Hipofaringe.

A faringe é dividida em naso, oro, laringofaringe e possui cerca de 12,5 cm de comprimento, localiza se posteriormente a cavidade nasal, boca e laringe.

A orofaringe estende se do palato mole ate a epiglote, esta membrana move se para baixo para cobrir a abertura da laringe na deglutição.

A laringofaringe ou hipofaringe estende se da epiglote ate a borda inferior da laringe ao nível de C6.

Procedimento Geral da Radiografia de Hipofaringe

Os exames convencionais com contraste necessitam meio de contraste para evidenciar e diferenciar as estruturas de interesse em relação as vizinhas e também será indispensável o uso de equipamentos com sistemas de fluoroscopias para acompanhar a trajetória do meio de contraste.

Estes procedimentos podem ser contrastados com sulfato de bário e ar, caso não haja suspeita de perfuração de víscera oca. O contraste será administrado via oral em caso de perfuração utilizar contraste a base de iodo.

Utilizamos as incidências anteroposterior, laterais, oblíqua e manobras.

Incidência significa a trajetória dos raios X após sair do tubo (ampola) de raios-X.

A região fica próximo da boca e existe um movimento voluntário e involuntário das estruturas, para reduzir os artefatos de movimento recomendamos utilizar alta kilovoltagem e baixa carga transportada.

 Preparo dos Pacientes

Indicar jejum por no mínimo 8 horas, caso seja necessário avaliar o estômago.

Investigar a possibilidade de gravidez e fornecer avental próprio para reduzir possibilidade de gerar artefatos.

Atenção ao Realizar o Exame.

Aspiração de Meio de Contraste.

radiografia hipofaringe
radiografia hipofaringe

Neste caso o exame é suspenso.

Incidências Realizadas

Incidências sem  Contraste

  • AP
  • PF

Incidências com  Contraste

  • AP
  • PF
  • Oblíquas
  • Manobras
  • Incidência Antero-Posterior (AP)

Técnica

Na posição ortostática ou sentado com a região cervical estendida; raio central é orientado perpendicularmente para o centro da região cervical na margem inferior da cartilagem tireoide ao nível de C4 o paciente segura o contraste na boca, orientá-lo a engolir o meio de contraste em uma só vez sem movimentar a coluna cervical.

Incidência Lateral (PF)

radiografia hipofaringe
radiografia hipofaringe

Técnica

Na posição ortostática ou sentado, a região cervical estendida o raio central é orientado perpendicularmente para o centro da região cervical no músculo esternocleidomastoideo abaixar os membros superiores para minimizar a sobre posição dos ombros, o paciente segura o contraste na boca, orientá-lo a engolir o meio de contraste em uma só vez sem movimentar a coluna cervical.

Incidências Oblíquas

OAE

radiografia hipofaringe
radiografia hipofaringe

OAD

radiografia hipofaringe
radiografia hipofaringe

Técnica

As incidências são realizadas em posição ortostática, obliquar o paciente de 15 a 20 graus em relação ao bucky, região cervical estendida o raio central é orientado perpendicularmente para o centro da região cervical no músculo esternocleidomastoideo na margem superior da cartilagem tireóide, o paciente segura o meio de contraste na boca, orientá-lo a engolir o meio de contraste em uma só vez sem movimentar a coluna cervical.

Incidências com Manobra (AP e PF)

AP

radiografia hipofaringe
radiografia hipofaringe

PF

radiografia hipofaringe
radiografia hipofaringe

Técnica

As incidências são realizadas em ântero-posterior (AP) e perfil (PF), em posição ortostática, região cervical estendida na incidência AP. O raio central é orientado perpendicularmente na margem inferior da cartilagem tireóide ao nível de C4;

O paciente é orientado a soprar no dorso da mão fazendo força como se fosse encher um balão sem deixar o ar passar.

No perfil o membro superior mais próximo do Bucky é levantado, o raio central é orientado para músculo esternocleidomastoideo. O paciente é orientado a soprar no dorso da mão fazendo força como se fosse encher um balão sem deixar o ar passar.

Utilizar filmes de acordo com o tamanho da estrutura a ser examinada e o tempo de exposição deve ser baixo.

Até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo