Diagnóstico por Imagem

Radiologia Industrial, Saiba Tudo Neste Artigo

Tudo Sobre Radiologia Industrial

Olá! Hoje daremos continuidade a nossa série de matérias sobre as áreas de atuação da radiologia.

Quando pensamos em automóveis, aeronaves, metrô, trens, navios e outros, temos em mente que todas essas máquinas não poderiam ter um bom desempenho sem antes terem passado por um controle de qualidade, onde envolvia os materiais utilizados, os processos de fabricação e montagem e até o projeto mecânico.

Acreditaria se eu dissesse que a radiologia industrial tem a participação em tudo isso e muito mais? Não acredita? Então, continue lendo e no final você retoma essa pergunta, ok?

Radiologia Industrial

radiologia industrial
radiologia industrial

É o emprego das radiações ionizantes, raios X ou gama para fins industriais, sendo comum em controle de qualidade, de processos em indústrias e em serviços de segurança como portos e aeroportos.

Os Ensaios Não Destrutivos (END) caracterizam hoje como um dos avanços tecnológicos mais importantes pois, através deles são realizados inspeções de materiais e equipamentos a fim de investigar o material sem causar danos ou até mesmo destruí-los no processo, evitando assim qualquer alteração em suas características.

A radiografia industrial, comumente conhecida como gamagrafia, é um dos ensaios mais importantes para documentar tal qualidade do produto inspecionado, utilizando a radiação X ou gama que necessita além de fontes naturais todo um equipamento necessário e regras rígidas de proteção radiológica.

Uma breve história da Radiologia Industrial

radiologia industrial radiologia blog 1

Tudo sempre nos leva ao início, quando Wilhelm Conrad Roentgen fez a descoberta dos raios X em seu laboratório na Alemanha. Há diversos relatos sobre as primeiras imagens produzidas por Roentgen com a ação dos raios X, mas documentos históricos mostram que o uso na indústria se iniciou no período da Primeira Guerra Mundial, onde havia correlação com os armamentos usados naquela época.

Mas, o uso dos raios X em Ensaios Não Destrutivos (END) só se tornou realmente importante comercialmente no período da Segunda Guerra Mundial.

No Brasil, os Ensaios Não Destrutivos foram introduzidos em 1940 com a utilização dos raios X na construção naval, pela Marinha do Brasil.

A Radiologia Industrial hoje

radiologia industrial
radiologia industrial

Há um campo de atuação extremamente grande para o profissional formado em radiologia atuar, como por exemplo:

Indústrias de petróleo e petroquímica – contribui com a manutenção da integridade de dutos e gasodutos, entre outros.

Raios X, portos, aeroportos, alfândega, eventos, estádios, estradas, rodovias, fronteiras e presídios – tudo por meio de um body-scan em inspeção de bagagens, volumes, cargas, contêineres, malas, combate a sonegação fiscal, contrabando, tráfico de drogas, armas e etc;

Na indústria aeronáutica e espacial – usado na análise e desenvolvimento de materiais, necessárias na fabricação de turbinas e aeronaves;

No setor gemológico – irradiação de pedras acelerando seu processo de envelhecimento, tornando-as preciosas;

Em fábricas de bebidas – fazendo o controle de qualidade, garantindo que as latinhas e garrafas cheguem até os consumidores em níveis corretos;

Na indústria de papel – operando em gramatura, ou seja, operando com medidas padronizadas de espessuras;

Em indústrias de cabos de aço – fazendo com que o cabo irradiado aguente uma maior quantidade de calor do que um cabo não irradiado;

Em museus e bibliotecas – utilizando a irradiação na preservação de obras de artes e livros com o propósito de preservação e conservação;

Irradiação de material hospitalar e produtos farmacêuticos – na eliminação de bactérias e micro-organismos em materiais, cosméticos e etc;

Na indústria automobilística – caracteriza e avalia o desempenho de peças;

Na indústria bélica – inspeção de explosivos;

Na irradiação de alimentos – destruindo micro-organismos, bactérias, vírus ou insetos, além de preservar a duração do alimento. No Brasil, a irradiação de alimento é comum em especiarias.

Ufa! Muita coisa, não é? Essas são apenas algumas das áreas em que o profissional pode atuar. O mercado de trabalho na indústria está sempre avançando e tendo mais e mais espaços para aqueles que se destacam e se especializam. Então, está esperando o quê?

O que achou da área? Se interessou? Já atua nela? Escreva pra gente, nos conte a sua história! E… Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo