Ferramentas

Glossário de Radiologia ATUALIZADO!

Encontre o significado de vários termos técnicos na Radiologia no Glossário do Radiologia Blog

Sabe aquela palavra que você leu no livro ou no artigo científico e não entendeu? Veja o seu significado aqui!

Você também pode contribuir com o Glossário, enviando termos que você considera importante. =)

A

ABDUÇÃO
Um movimento de afastamento do braço ou perna em relação ao corpo.

ABREUGRAFIA
Exame radiológico do tórax desenvolvido pelo brasileiro Manuel de Abreu nos anos 30, o exame tem a finalidade de diagnosticar a tuberculose na fase assintomática, sua característica é a utilização de um filme pequeno, com poucos centímetros, reduzindo os custos com os filmes tradicionais.

ABSCESSO
Coleção de pus em qualquer lugar do corpo, geralmente associadas a algum tipo de inflamação;

ACELERADOR LINEAR
Equipamento utilizado na Radioterapia (Teleterapia) que produz feixe de Raios X com maior energia da utilizada no diagnóstico, sendo assim capaz de erradicar células tumorais.

ACR
American College of Radiology.

ADUÇÃO
Um movimento do braço ou perna em direção ao corpo. Movimento em direção a linha média .

AEC
Controlador automático de exposição, dispositivo encontrado nos mamógrafos para determinar a exata técnica para obtenção de imagens mamográficas, é uma ferramenta opcional.

ALARA
Sigla do inglês As Low As Reasonable Achievable traduzido em português Menor Dose Razoável para Execução, ou seja, com propósito de proteção radiológica para o profissional, paciente, sociedade e meio ambiente, deve ser utilizada a menor dose de radiação possível para o objetivo.

ALFA
Partícula composta por dois prótons e dois nêutrons.

AMPÈRE
Unidade de medida de corrente elétrica.

AMPOLA DE RAIOS X
Tubo de vidro a vácuo responsável pela produção dos Raios-X, composto por um conjunto de filamentos, pelo cátodo e pelo ânodo.

ANATOMIA RADIOLÓGICA
Estudo das estruturas anatômicas do coEstudo das estruturas anatômicas do corpo humano e veterinário através das imagens de Raios-X, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética, entre outros exames de diagnóstico por imagem.rpo humano e veterinário através das imagens de Raios-X, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética, entre outros exames de diagnóstico por imagem.

ANESTESIA
É a perda de sensibilidade com ou sem perda de consciência.

ANFIARTROSE
articulação capaz apenas de movimentação reduzida, e que não dispõe de cavidade articular nem de membrana sinovial.

ANGIOGRAFIA
Estudo radiográfico dos vasos (artérias, veias, linfáticos) pela injeção de meios de contrastes;

ANGIORRESSONÂNCIA MAGNÉTICA
Exame de ressonância magnética das artérias ou veias, o exame pode ser realizado com ou sem contraste.

ARCO CIRÚRGICO
Aparelho utilizado no Centro Cirúrgico, equipado com um intensificador de imagens acoplado à câmera, transmitindo para um monitor de vídeo em tempo real.

ARTROSE
é a degeneração da articulação, que pode ser causada pelo envelhecimento ou traumatismo

ATM
É a articulação temporomandibular, uma articulação que liga o maxilar ao crânio.Essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, responsável por mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que impeça a função ou o adequado funcionamento deste complexo sistema de músculos, de ligamentos, de discos e de ossos é chamado de D-ATM.

Estrutura presente na ampola de Raios X composto por cobre revestido de tungstênio no aparelho de radiografia ou molibdênio no aparelho de mamografia, um dos responsáveis pela produção dos raios-x.

ÂNODO GIRATÓRIO

[ver ânodo] Estrutura que gira em torno de um eixo para minimizar o efeito do superaquecimento.

É o estudo dos ápices pulmonares. Estudo do Lobo Médio e Língula. “Paciente encurvado com posição AP ou paciente em AP no bucky”.

ÁREA CONTROLADA

Área sujeita a regras especiais de proteção e segurança com a finalidade de controlar as exposições normais e evitar exposições não autorizadas ou acidentais.


B

BANDEJA

Parte do equipamento de Raios-X no qual é posicionado o chassi.

BÁRIO

Substância à base de sulfato de bário, que, misturada à água, funciona como contraste radiológico;

BARITA

Material utilizado no revestimento das paredes do local onde se utilizará a fonte de radiação, aumentando a blindagem.

BECQUEREL

Unidade de medida de atividade de um material radioativo, adotada no sistema internacional (SI).

BETA

Partícula composta por um elétron (beta menos) ou um pósitron (beta mais).

BIOMBO

Equipamento de proteção radiológica, sua composição pode ser de chumbo, liga metálica ou concreto.

BIÓPSIA

Procedimento através do qual, utilizando-se um tipo especial de agulha, é retirado um pequeno pedaço de tecido do corpo humano, para análise e diagnóstico;

BIRADS

Classificação dos achados em mamografia, existem sete classificações (0 à 6), cada uma delas refere-se a um achado na mamografia.

BLINDAGEM

Proteção contra radiação.

BORRAMENTO

Perda de resolução da imagem causada pela perda das bordas.

BUCKY

Parte do aparelho de Raios-X em que se coloca o bandeja com o chassi para confecção da radiografia.


C

CÂMARA CLARA

Local onde são manipulados os filmes após a revelação.

CÂMARA DE CINTILAÇÃO

Aparelho utilizado na Medicina Nuclear (Cintilografia).

CÂMARA DE IONIZAÇÃO

Monitor de radiação que fornece taxa de exposição aos Raios X.

CÂMARA ESCURA

Local onde são manipulados os filmes antes e durante a revelação.

CAMPO DE VISÃO

Área que o aparelho formador de imagem é capaz de abranger.

CAMPO MAGNÉTICO

Região do espaço onde existem forças magnéticas.

CÁTODO

Estrutura carregada positivamente da ampola de Raios X que irá provocar uma avalanche de elétrons na ampola.

CHASSI

Dispositivo utilizado para acoplar o filme à tela.

CINTILOGRAFIA

Processo em que a substância radioativa concentra-se em determinado órgão a ser analisado por aparelho especial (cintilógrafo, gama-câmara);

CIRCUNDAÇÃO

Mover em forma de círculo.

CISTO

Saco contendo líquido, que pode ocorrer em qualquer lugar do corpo; Radiologista – Profissional médico responsável pela realização de exames, análise e interpretação das imagens obtidas e, também, pela emissão dos laudos ou relatórios;

CNEN

Comissão Nacional de Energia Nuclear.

COLGADURA

Utilizada para prender o filme para execução do processo de revelação manual.

COLIMADOR

Dispositivo do equipamento de formação de imagens em Radiologia e aparelhos de radioterapia que delimita os raios em uma única direção, com a finalidade de manter a radiação em determinada área de exposição.

CURIÔMETRO

Tem esta denominação em homenagem q grande cientista Marie Curie, e um calibrador de dose.  Muito utilizado em medicina nuclear para medir a atividade do radionuclideo que esta sendo administrado no paciente com fins de diagnósticos ou terapêuticos, sendo assim um instrumento de proteção radiologica.


D

DACRIOCISTOGRAFIA

Exame radiológico contrastado das vias lacrimais.

DECAIMENTO

Processo no qual um material radioativo emite radiação e sofre transformações até atingir a estabilidade nuclear.

DECÚBITO

Significa estar deitado, ou seja, na posição horizontal.

DENSITOMETRIA

Método de Diagnóstico Por Imagem que mede a densidade mineral óssea, utilizando em geral o parâmetro do colo do fêmur.

DENSITOMETRIA ÓSSEA

Exame que utiliza raios X para avaliar a quantidade de cálcio nos ossos, principalmente no diagnóstico da steoporose;

DENTAL SCAN

Exame tomográfico do arcada dentária.

DEP

Dose de radiação na entrada da pele.

DFF

Distância foco-filme.

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM OU IMAGINOLOGIA OU IMAGIOLOGIA

Conjunto de métodos que usa a imagem como meio de diagnóstico (radiologia convencional, ecografia ou ultra-sonografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, densitometria óssea, medicina nuclear etc.). Antigamente era conhecida como radiologia;

DICOM

É um padrão de armazenamento de imagens médicas.

DISPARO

É o procedimento

DISTORÇÃO

Alteração da forma geométrica de uma estrutura anatômica na imagem radiográfica.

DOF

Distância Foco-Objeto.

DORSO

Significa topo ou costas, refere-se a parte posterior da mão e a parte anterior do pé.

DOSIMETRIA

Medidas e cálculos das doses de radiação absorvidas.

DOSÍMETRO

Equipamento utilizado para medir a dose de radiação equivalente à qual o corpo foi exposto. Deve ser utilizado por profissionais e estagiários atuantes no setor.


E

ECRAN

Tela fluorescente constituída com terras raras, responsável por transformar os Raios X em luz visível.

EED

Exame radiológico do esôfago, estômago e duodeno, que utiliza o bário como contraste.

EFEITO ANÓDICO

Efeito causado pela diferença da radiação produzida e que atinge a película do lado cátodo com mais intensidade.

ENDOSCOPIA DIGESTIVA

Exame que permite uma visão completa e detalhada do tubo digestivo, desde o esôfago, estômago até o duodeno, com auxílio de uma microcâmera de vídeo, que é utilizada para documentação e acompanhamento. Não faz parte do departamento de Radiologia;

ENEMA OPACO

Exame radiológico através do reto, para estudo de todo o intestino grosso, utilizando-se o bário como meio de contraste;

EPI

Equipamento de proteção individual.

ESCANOMETRIAL

É um exame radiológico que mensura as discrepâncias entre o comprimento dos membros através de imagens radiográficas

ESOFAGOGRAFIA

Exame radiológico do esôfago, utiliza o bário como contraste.

ESPALHAMENTO

Radiação que sofreu efeito compton e mudou sua trajetória.

ESPECTRO

Conjunto de radiações eletromagnéticas.

ESPESSÔMETRO

Acessório utilizado para medir a espessura do local a ser radiografado.

ESTATIVA

Parte do aparelho de Raios-X que sustenta o bucky e a gaveta porta-chassi para exames ortostáticos.

ESTATIVA OU BUCKY MURAL

Estrutura de metal com gaveta para radiografar pacientes em pé ou sentado.

ESTUDO DAS RADIAÇÕES.

Estudo das radiações.

EVERSÃO

É um movimento de força para fora do pé na articulação do tornozelo, aplicada  ao calcâneo   sem rotação da perna.  A superfície plantar é voltada ou rotada para fora.    Essa posição serve para avaliação de possível alongamento do espaço articular do tornozelo.

EVERSÃO

É um movimento de força para fora do pé na articulação do tornozelo, aplicada  ao calcâneo   sem rotação da perna.  A superfície plantar é voltada ou rotada para fora. Essa posição serve para avaliação de possível alongamento do espaço articular do tornozelo.

EXPOSIÇÃO

Quantidade de radiação no ambiente à qual as pessoas estão submetidas.

EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL

Exposição de um indivíduo em decorrência de seu trabalho em práticas autorizadas.

EXTENSÃO

Ao estender ou retificar uma articulação o ângulo entre as parte é aumentado.


F

FALSO-NEGATIVO

Resultado de exame radiológico insuficiente ao diagnóstico, porém, o paciente possui alguma doença.

FALSO-POSITIVO

Resultado do exame indicando doença, porém, paciente está saudável. Ocorre por artefatos, por exemplo.

FANTOMA

É um material que simula o tecido biológico humano para testes de controle de qualidade. É constituído de materiais que tenham propriedades semelhantes ao tecido humano. Podem ser fabricados com diversos materiais, como glicerina, parafina e até tecidos de animais mortos.

FEIXE SECUNDÁRIO

Fluxo de Raios X emitidos do aparelho e incidente no paciente.

FILAMENTO

Fino ou grosso, é o fio por onde passa a corrente elétrica na ampola.

FILME RADIOLÓGICO

Material onde são impressas as imagens obtidas nos exames; Gadolínio – Contraste utilizado em Ressonância Magnética;

FIXADOR

Substância utilizada no processo de revelação de filmes radiológicos responsável pela fixação dos haletos de prata.

FLEBOGRAFIA

Radiografia de veias por meio de injeção de contraste.

FLUORÊNCIA

Propriedade de materiais que emitem luz por excitação.

FÓTON

Partícula emitida de excitação eletrônica que não possui massa, mas transporta energia.

FOV

O mesmo que campo de visão.


G

GADOLÍNIO

Contraste utilizado em Ressonância Magnética;

GÁLIO

Elemento radioativo utilizado na Medicina Nuclear para detecção de alguns tipos de tumores.

GAMA CÂMARA

Equipamento de Medicina Nuclear que produz as imagens saindo dos raios gama emitidos do corpo do paciente.

GANTRY

Estrutura do equipamento que suporta os detectores, tubos de raios X e todos os componentes eletrônicos relacionados à aquisição das imagens tomográficas.

GEIGER-MULLER

Monitor de radiação que fornece a taxa de exposição à radiação gama.

GRADE

Acessório utilizado em radiografia convencional para reduzir a quantidade de fótons espalhados na imagem, cujo impacto seria uma perda de resolução espacial da imagem.


H

HELICOIDAL

Técnica tomográfica na qual a mesa se movimenta com gantry. O resultado é uma orbita helicoidal.

HEMODINÂMICA

Área da radiologia que produz imagens do sistema circulatório em tempo real.

HIPERTENSÃO

Extensão de uma articulação além da posição neutra ou ereta.

HISTEROSSALPINGOGRAFIA

Exame radiológico do útero e trompas, realizado em posição ginecológica, mediante a introdução de um cateter no colo uterino e a injeção de contraste iodado. Deve ser realizado pelo radiologista;

HISTOLOGIA

Estudo dos tecidos e células do corpo; Roentgen, Wilhelm Conrad – Físico alemão, responsável pela descoberta dos raios X;

HU

Em tomografia computadorizada, o valor de cada pixel da imagem representa um número chamado de unidade Hounsfield (HU).


I

IMAGEM LATENTE

É a imagem impregnada no filme, mas não visível que precisa passar pelo processo de revelação.

IMAGINOLOGIA, IMAGIOLOGIA OU DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

Conjunto de métodos que usa a imagem como meio de diagnóstico (radiologia convencional, ultra-sonografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, densitometria óssea, medicina nuclear, etc). Antigamente era conhecida como radiologia;

IMRT

Técnica moderna de radioterapia de feixe modulado que permite menor dose de radiação em tecidos vizinhos ao tumor.

INTENSIDADE

É a quantidade de fótons que atingem determinada área em um mesmo intervalo de tempo.

INTENSIFICADOR

Tela que transforma os Raios X em luz.

INVERSÃO

Um movimento de força para dentro na articulação do tornozelo sem rotação da perna. Exatamente o oposto da eversão.

INVERSÃO

Um movimento de força para dentro na articulação do tornozelo sem rotação da perna. Exatamente o oposto da eversão.

IODO

Elemento radioativo utilizado em terapia (I131) ou diagnóstico (I123).

IODOTERAPIA

Tratamento para disfunções tireoidianas que usa o iodo 131. É realizada pela administração do iodo radioativo via oral buscando exterminar células tumorais.

IONIZAÇÃO

Produção de íons resultante da quebra de ligações químicas.

ISÓTOPO

São isótopos elementos químicos de mesmo número atômico.


J

JANELAMENTO

Forma de selecionar a região da escala de cinza ou o intervalo de unidade de HU.


K
KV

Quilovoltagem, tensão aplicada na ampola de Raios X.


L

LAUDO OU RELATÓRIO

Descrição escrita, ordenada e minuciosa de tudo o que foi observado durante a realização do exame. Podem ser relatadas quaisquer observações, orientações e conclusões;

LUTÉCIO

Elemento radioativo utilizado em terapia para tratamento de câncer.


M

MAGNETO

Ímã do aparelho de aparelho.

MAMOGRAFIA

Radiografia simples das mamas;

MAMOGRAFIA

Técnica que emprega o uso de Raios X para realizar imagens da mama.

MATECTOMIA

Cirurgia para o tratamento de lesões na mama, associada ao câncer de mama. Podendo ser radical, onde é retirada todo o tecido mamário ou parcial, retirando apenas algumas estruturas da mama.

MATRIZ

É o espaço no qual os dados da imagem são armazenados. Uma matriz tem um número de linhas e colunas que, multiplicadas, indicam o número total de pixels da imagem.

MCL

Colimador Multi Lâminas ou Colimador Mutilâminas. Sistema presente em equipamentos modernos de radioterapia. O sistema é importante para dimunuir a dose de radiação nos tecidos vizinhos do volume alvo.

MEIA-VIDA

Tempo que um elemento radioativo leva para se desintegrar pela metade.

MEIO DE CONTRASTE OU CONTRASTE

Substância utilizada em Imaginologia com a finalidade de aumentar a definição dos órgãos estudados, melhorando a acurácia do exame. Ex: contraste iodado, bário, gadolínio;

MIELOGRAFIA

Exame radiográfico da medula espinal com uso de contraste radiopaco.

MODO CINE

Forma de visualizar imagens em sequência temporal ou da dinâmica de determinado sistema que permite a observação de movimentos.

MULTISLICE

Técnica de obtenção de imagens de tomografia computadorizada que adquire vários cortes em uma única exposição.


N

NEFROLOGIA

Exame radiográfico dos rins.

NEGATOSCÓPIO

Equipamento utilizado para visualização das radiografias, composto por uma caixa com lâmpadas fluorescentes e uma tela opaca.


O

ÓCULOS PLUMBÍFEROS

Óculos especias que possuem lentes com vidro plumbífero utilizado em radioproteção.

Nível de clareamente da imagem.

ORTOSTÁTICA

É a posição vertical, de pé  ou sentado dependendo da parte a ser estudada.

ORTOSTÁTICO

Posicionamento para exame radiológico no qual o paciente fica em pé e parado.

OSTEOPENIA

É caracterizada pela diminuição da massa óssea, onde os ossos tornam-se mais frágeis, e se não for rapidamente tratada, pode evoluir para osteoporose.

OSTEOPOROSE

“Enfraquecimento” dos ossos do corpo;


P

Sistema de comunicação e arquivo de imagens médicas.

PALMAR

Refere-se à palma da mão, na posição anatômica seria o mesmo que  a superfície ventral ou anterior da mão.

PIELOGRAFIA

Exame radiológico do ureter e da pelve renal.

PITCH

Intervalo de movimento da mesa em tomografia helicoidal.

PIXEL

É o menor elemento de uma imagem digital.

PLANIGRAFIA OU TOMOGRAFIA LINEAR

Radiografia de seções ou planos do corpo, obtida sem o uso de computadores. Praticamente não mais utilizada nos dias atuais.

PLANTAR

Refere-se a parte posterior do pés, é a planta (parte de baixo) dos pés.

PONTO FOCAL

Quanto menor o ponto focal, menor a zona de penumbra na imagem.

POSIÇÃO DE LITOTOMIA

Posição com os joelhos parcialmente dobrados, as coxas aduzidas externamente, os MMII sustentados por suportes para pernas e tornozelos. Esta posição é muito usada na urografia retrógrada ou posição cirúrgica para remoção de  calculo renal.

POSIÇÃO LATERAL OU DE PERFIL

Como o próprio nome diz, é um a posição lateral da  parte a ser estudada é demarcada pela entrada e saída do raio central.

POSIÇÃO OBLÍQUA

Posição inclinada ou angulada na qual o  plano médio-sagital e o plano médio coronal são perpendiculares ao filme, ou seja, é uma intermediária entre a frente e a lateral.  Normalmente se não haver especificações esta intermediária será de 45 graus.

POSIÇÃO OBLIQUA ANTERIOR (D OU E)

É aquela em que a face anterior direita ou esquerda esta mais próxima do filme ou receptor de imagem.

POSIÇÃO OBLIQUA POSTERIOR (D OU E)

É especifica, na  qual a parte posterior esquerda ou direita esta mais próxima  do filme ou receptor de imagem.

PRONAÇÃO

Um movimento para a posição oposta a posição  anatômica (palma para baixo).

PROTAÇÃO

Um movimento para frente a partir de uma posição normal.

PROTOCOLO

Sequencia de procedimentos que devem ser realizados durante determinado exame

PULSO DE RADIOFRÊQUENCIA

Sinal de onda eletromagnética da região das ondas de rádio utilizado em ressonância magnética.


Q

QUIMÍCO

Substância utilizada no processo de revelação dos filmes radiológicos.

QUISTO

Termo usado para denominar cisto;


R

RAA – ROTINA DE ABDOME AGUDO

Consiste num exame radiológico para o estudo de patologias que envolvam a região abdominal. Que consiste na realização de 3 incidências: PA de tórax, AP de abdome em ortostático, na impossibilidade, faz se 2 incidências especiais: decúbito lateral esquerdo com raios horizontais ou Decúbito dorsal(perfil) com raios horizontais. E por fim a última incidência AP de abdome em decúbito dorsal.

RAD

Unidade de dose de radiação absorvida utilizada antes do Gray.

RADIAÇÃO

É uma forma de energia em movimento que não se armazena.

RADIO GAMA

Radiação eletromagnética ionizante.

RADIOBIOLOGIA

Estudo dos efeitos biológicos das radiações.

RADIOCOBALTO

S. m. Isótopo radioativo de cobalto.

RADIOCRISTALINO

É designativo de certas granulações que se observam na camada calcária dos órgãos fotógenos.

RADIODIAGNÓSTICO

É a utilização da radiação ionizante para a obtenção de um diagnóstico, conseguir, da maneira menos invasiva possível, uma imagem nítida do interior do corpo para uma análise posterior.

RADIOFARMÁCIA

Área farmacêutica que manipula materiais radioativos.

RADIOFÁRMACO

Solução composta por um material radioativo e um fármaco que simula um metabolismo utilizado na célula.

RADIOFREQUÊNCIA

Onda eletromagnética cuja frequencia se encontra dentro do espectro das ondas de rádio. Utilizada para provocar de dipolos magnéticos.

RADIOISÓTOPO

Elementos radiativos de mesmo número atômico.

RADIOLESÃO

Lesão ou dano biológico provocado pela radiação.

RADIOLOGIA

Estudo das radiações e do seu emprego nos diagnósticos ou tratamento;

RADIOLOGISTA

Profissional médico especializado em radiologia.

RADIOPACO

Material ou substância que atenua bastante a radiação e, portanto, aparece mais claro na imagem.

RADIOPACOS (RADIOLÚCIDOS)

São os materiais que oferecem resistência aos raios x, como por exemplo, os metais de maior número atômico (ferro, aço, etc) , e também algumas estruturas como os ossos. Diz-se das partes escuras de uma radiografia.

RADIOPROTEÇÃO

Área especializada em estudar e propor técnicas de proteção contra os efeitos nocivos provocados pela exposição à radiação ionizante.

RADIOTERAPEUTA

Profissional médico especializado em radioterapia.

RADIOTERAPIA

Tratamento através do qual são utilizados grandes doses de raios x. Geralmente é utilizado em pacientes com câncer. O setor que realiza esse exame não faz parte do Departamento de Radiologia. O profissional responsável é o médico radioterapeuta (cancerologista ou oncologista);

RADIOTERAPIA

Área da radiologia que utiliza a energia da radiação ionizante como terapia.

RADIOTRANSPARENTE

Diz-se material radiotransparente, todos matérias não resistente a passagem dos raios x, não havendo dificuldades para impressionar o filme, o exemplo são os plásticos, madeira de compensados, isopor e etc.

RAIO CENTRAL

Centro do feixe de radiação primário que sai da ampola.

RECONSTRUÇÃO

Técnica que reconstrói uma estrutura volumétrica, tridimensional, de projeções planas ao seu redor.

REJEITO

Lixo radioativo.

REM

Unidade de dose equivalente utilizada antes do Sievert.

RESSONÂNCIA

Fenômeno físico que acontece quando dois sistemas vibrantes oscilam na mesma frequência.

RETRAÇÃO

Um movimento para trás, ou a condição de ser levado para trás.

REVELAÇÃO

Técnica que torna visível a imagem latente do filme radiográfico.

REVELADOR

Substância utilizada no processo de revelação de filmes radiológicos responsável pela extração dos haletos de prata.

RIS

Sistema de gerenciamento de informações e imagens em Radiologia, inclui o PACS.

RX

Abreviatura de Raios X.


S

SECAGEM

Última etapa do processo de revelação.

SENSITÔMETRO

Equipamento que produz sensibilizações de diferentes densidades ópticas nos filmes radiológicos.

SEQUÊNCIA DE PULSO

Conjunto de pulsos de radiofrêquencia emitidos da antena em ressonância magnética.

SIALOGRAFIA

Estudo radiológico das glândulas salivares;

SIEVERT

Unidade de medida de dose equivalente.

SINOGRAFIA

Exame radiográfico dos seios e fístulas.

SLICE

O mesmo que corte tomográfico.

SPIN

Movimento de rotação das partículas atômicas em torno do próprio eixo.

SPIN-ECO

O mesmo que T2 (ressonância magnética).

STIR

Tipo de sequência utilizada na ressonância magnética.

SULFATO DE BÁRIO

Contraste utilizado no radiodianóstico.

SUPINAÇÃO

Um movimento de rotação da mão para a posição anatômica (palma para cima).


T

T1

Tempo necessário para que a magnetização longitudinal alcance 63% do valor inicial.

T2

Tempo necessário para que a magnetização transversal alcance 37% do valor inicial.

TÁLIO

Elemento radioativo utilizado em Medicina Nuclear para exames cardíacos.

TAXA DE EXPOSIÇÃO

Medida de exposição à radiação em determinado período.

TC HELICOIDAL

Tomografia computadorizada com movimentos simultâneo da mesa. Produz uma aquisição das imagens em trajetória helicoidal. É mais rápida que a tomografia com órbita circular.

TÉCNECIO

o Tecnécio (99mTc) é o elemento radioativo mais utilizado em Medicina Nuclear. É produzido no próprio hospital por um dispositivo chamado gerador de molibdênio.

TÉCNICA RADIOLÓGICA

Conjunto de parâmetros utilizados na produção da imagem radiográfica, como Kv, mAs, foco e posicionamento.

Profissional técnico treinado para realizar e ou executar exames radiológicos. Não é da sua competência a emissão de laudos ou relatórios dos exames;

TÉCNICO EM RADIOLOGIA

Profissional de nível médio responsável pela produção de imagens radiológicas e pela supervisão da equipe técnica.

TÉCNICO EM RAIOS X

O mesmo que Técnico em Radiologia.

TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA

Profissional com formação em nível superior (3o grau) treinado para realizar e ou executar exames radiológicos complexos (tomografia computadorizada, densitometria óssea, ressonância magnética, etc) Não é da sua competência a emissão de laudos ou relatórios dos exames;

TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA

Profissional de nível superior responsável pela produção de imagens radiológicas e pela supervisão da equipe técnica.

TELEMEDICINA

Medicina à distância.

TELERADIOLOGIA

Modelo de comunicação de imagens radiológicas por meio de uma rede de computadores como a internet.

TESLA

Unidade de medida de campo magnético.

TRAÇADOR

Material utilizado para registrar na imagem determinado trajeto anatomofisiológico.

TUNGSTÊNIO

Metal utilizado no ânodo das ampolas de Raios X. Tem alto poder de freamento dos elétrons e alto ponto de fusão.


U

ULTRA-SOM

Som cuja freqüência está acima de 20 megahertz (Mhz), sendo, portanto, inaudível pelo ouvido humano;

ULTRA-SONOGRAFIA OU ECOGRAFIA

Uso de ultra-som (sons de alta freqüência ) para fins de diagnóstico, através da imagem;

ULTRASSONOGRAFIA

Ondas sonoras de frequencia acima de 20.000 Hz.

Estudo radiológico contrastado da bexiga e da uretra, no intuito de estudar a anatomia e fisiologia. Esse exame é realizado em homens, na qual é injetado o contraste pela uretra distal até que a uretra esteja completamente preenchida pelo radiofármaco.

URETROGRAFIA

Exame radiológico das vias urinárias.

UROGRAFIA EXCRETORA

Exame radiológico de passagem renal, que mostra os rins e o trato urinário durante a administração do contraste.


V

VALGO

Descreve a curvatura de uma parte para dentro ou em direção à linha média.

VARO

Descreve a curvatura de uma parte para fora ou em direção à linha média.

VASOS

Termo referente a estruturas do sistema sanguíneo do indivíduo: artérias, veias e capilares;

VENOGRAFIA

Exame radiográfico das veias de grande calibre com uso de meios de contraste.


W

WORKSTATION

 Computador com grande capacidade de processamento de imagens, como o utilizado para processar as imagens das técnicas radiográficas, de Tomografia, Ressonância e Medicina Nucelar.


X

XIFOIDE

Parte do osso esterno.


Z

Z

Simbolo que expressa o número atômico de cada elemento químico, o número atômico é o total de prótons e nêutrons que compõem o núcleo do átomo.

ZOOM

Operação que aumenta o tamanho do pixel e amplia o tamanho das estruturas no monitor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo