Física Radiológica

Modelos Atômicos. Veja a evolução de cada Modelo Atômico

Conheça todos os modelos Atômicos e suas histórias

Olá pessoal, tudo bem? Estudar os modelos atômicos é fundamental para compreender a Energia Nuclear. Não tem como estudar a Física Radiológica sem conhecer como ocorre a emissão da energia da radiação e o átomo. Não é atoa que o átomo está presente no brasão do símbolo da radiologia.

Então vamos lá, o átomo como todos conhecem é o modelo de Rutherford-Bohr mas outros “caras” já desenvolveram modelos atômicos diferentes, além de outros que inseriram novos conceitos na evolução atômica.

A teoria atômica começa lá na Grécia antes de Cristo, então vamos viajar um “pouquinho” no tempo:

Grécia V a.C.

Grécia
Grécia

Durante muito tempo os filósofos se questionavam do que tudo era feito, qual era a composição das árvores, dos animais, do homem, da pedra… e assim por diante, a teoria que vingou por muito tempo foi de Aristóteles que definiu quatro elementos essenciais na natureza: Água, Fogo, Terra, Ar; e da junção e variação destes elementos tudo era criado, esta era a explicação para a composição de tudo que existia.

No século V a.C., os filósofos Demócrito e Leucipo duvidaram da teoria de Aristóteles e juntos desenvolveram a teoria atomística, para os dois tudo na natureza e no universo era constituído por uma partícula chamada átomo. Toda matéria do universo era dividida em bilhões de átomos, Demócrito e Leucipo descreveram o átomo como uma partícula impenetrável e que não se dividia.

A ideia de que tudo no universo era composto por pequenas partículas, incluindo os seres humanos, não foi aceita na época, era uma ideia muito avançada.

A teoria do átomo só foi aceita muito tempo depois, muito tempo mesmo, no século XIX, entre os anos de 1803 a 1809, com John Dalton.

Modelo Atômico de Dalton

John Dalton criou o primeiro modelo atômico, conhecido como Modelo da Bola de Bilhar

Para Dalton, a matéria era formada por partículas extremamente pequenas chamadas átomos. Estes átomos eram esferas maciças e invisíveis. Por isso a semelhança com a bola de bilhar.

Modelo Atômico de Thomson

Ainda no século XIX, um ex-aluno de Dalton e cientista, Joseph John Thomson, através de experiências com cargas elétricas concluiu que o átomo não era uma esfera indivisível, como sugeriu seu professor. Através destas experiências Thomson descobriu que os átomo possuía partículas negativas.

E assim, propôs que o átomo fosse uma esfera com carga elétrica positiva com partículas negativas distribuídas. O modelo atômico de Thomson ficou conhecido como o Modelo do Pudim de Passas.

Modelo Atômico de Rutherford

No inicio do século XX, o cientista Ernest Rutherford descobriu que o átomo não era uma esfera maciça, como dizia até então as teorias de Dalton e Thomson. Utilizando experiências com radioatividade, Rutherford verificou que o átomo era formado por alguns espaços vazios.

O modelo atômico de Rutherford ficou conhecido como Modelo Planetário. De acordo com Rutherford, o átomo era composto por um pequeno núcleo com carga positiva neutralizada e por uma região em torno deste núcleo com carga negativa, os elétrons giravam nessa região ao redor do núcleo.

Modelo Atômico de Bohr

O cientista dinamarquês Niels Bohr aperfeiçoou o modelo atômico de Rutherford, sobre a movimentação dos elétrons em torno do núcleo.

Tudo porque se os elétrons circulavam em torno do núcleo, porque sua energia não acabava? Respondendo questões como esta Bohr criou uma nova teoria. Mas mesmo assim, o modelo Rutherford-Bohr ainda apresenta alguns problemas em relação a física clássica, mas mesmo assim, é este o modelo mais divulgado.

Eu particularmente adoro estudar modelos atômicos. Sei que física não é a matéria preferida da maioria, mas tem que estudar não é!? Bom, nos próximos artigos vamos estudar mais sobre cada um desses modelos atômicos.

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo