Física Radiológica

Os 4 Fatores de Qualidade da Imagem Radiográfica, Saiba Mais

Conheça os Fatores de Qualidade da Imagem Radiográfica e Suas Definições

Olá pessoal, a qualidade da imagem radiográfica é uma das mais importantes características de um bom exame radiográfico.

Quanto melhor a qualidade do seu exame radiográfico, mais preciso será o diagnóstico realizado pelo médico radiologista. Existem alguns processamentos radiográficos diferentes: radiografia analógica ou convencional, radiografia computadorizada e a radiologia digital.

Mesmo com diferentes processamentos e os avanços na radiologia, é fundamental o profissional conhecer esses princípios da formação da imagem que garantem uma melhor qualidade no exame, caso contrário, o profissional será um mero “apertador de botão” e isso eu tenho certeza que você não é e nem quer ser. Daí a grande importância dos conhecimentos de física radiológica na prática profissional.

Fatores de Qualidade da Imagem Radiográfica

Qualidade radiográfica
Qualidade radiográfica

Existem quatro fatores principais que interferem na qualidade da imagem, são eles: Densidade, Detalhe, Contraste e Distorção. Além destes ainda existem os fatores geométricos e os fatores relacionados ao paciente, que vamos conhecer também neste artigo.

#1 – Densidade

A densidade radiográfica, em alguns livros é chamada de densidade óptica, tem como definição o grau de enegrecimento da radiografia. Esse grau de enegrecimento da radiografia é controlado pela quantidade de radiação emitida no exame, ou seja, quanto maior o mAs durante o exame, maior será o grau de enegrecimento da radiografia. Em casos em que a radiografia tem um grau de enegrecimento baixo, é necessário alterar o mAs para ter qualidade de imagem radiográfica aceitável para o diagnóstico.

Um outro fator que controla a densidade é a regra do inverso do quadrado da distância, já ouviu falar? Essa lei é muito utilizada na fotografia e diz o seguinte: quando a distância entre o foco e o objeto é duplicada, a intensidade da energia diminui para 1/4, isso significa que um exame realizado com 1 metro de distância entre o tubo de raios-x e o paciente, a energia do mAs tem um determinado valor de intensidade quando atinge o paciente.

Se aumentar a distância para 2 metros, a intensidade do mAs quando atinge o paciente se reduz para 1/4 da energia anterior com 1 metro. Sendo assim, quanto maior a distância, menor o grau de enegrecimento da imagem.

#2 – Detalhe

O detalhe é o fator de qualidade de imagem definido como nitidez das estruturas visualizadas na radiografia. A nitidez é importante para visualizar cada detalhe das estruturas, como as linhas finas e as bordas dos tecidos.

Os detalhes anatômicos de cada estrutura precisam ser visualizados para diferenciar um micro-fratura, por exemplo, como vemos na imagem abaixo. A ausência desses detalhes na imagem radiográfica é denominada borramento.

O controle do detalhe na imagem é realizado pelo tamanho do ponto focal, que é selecionado no painel de controle do aparelho. Quanto menor o ponto focal, melhores são os detalhes na imagem.

Outros dois fatores importantes é a distância entre o tubo de raios-x e o receptor de imagem (Distância Foco-Filme – DFoFi) e a distância entre o paciente e o receptor de imagem (Distância Objeto-Filme – DOF). Com uma maior DFoFi e uma menor DOF é possível melhorar a qualidade dos detalhes na radiografia.

Os movimentos voluntários e involuntários do paciente também influência no detalhe da imagem, para isso é necessário um menor tempo de exposição e atenção aos movimentos do pacientes no momento de disparar o raios-x.

#3 – Contraste

O contraste na imagem radiográfica é a diferença de densidades nas estruturas presentes na radiografia. Quanto maior a diferença de densidades, maior o contraste. O contraste tem uma importante função, tornar visível os detalhes anatômicos de uma radiografia. O fator para controlar o contraste é a kilovoltagem (kV). O kV controla a penetração dos raios-x no objeto, quanto maior o kV, maior a penetração do feixe de raios-x nos tecidos do paciente.

O contraste é a diferença entre tons de cinza na radiografia, quanto mais penetrante for o feixe de raios-x, menor será esta diferença e assim menor o contraste.

#4 – Distorção

A distorção é a representação errada do tamanho ou da forma da estrutura na imagem radiográfica. Um distorção exagerada torna a radiografia inaceitável para o diagnóstico. O tamanho das estruturas e tecidos na imagem radiográfica tem diferentes tamanhos e formas, isso é comum, porém, controlando a distância foco-filme é possível minimizar essa distorção.

O Efeito Anódico e a Qualidade de Imagem Radiográfica

Qualidade radiográfica
Qualidade radiográfica

Na ampola dentro do aparelho de raios-x, onde é produzida a energia existem dois componente posicionados em lados opostos: catodo e anodo. Quando os raios-x são produzidos e são disparados para fora da ampola, a energia do lado do catodo tem maior intensidade do que no lado do anodo. Sendo assim, quando realizados exames radiográficos, a estruturas posicionadas no lado do catodo recebe a energia dos raios-x com mais intensidade e as estruturas posicionadas do lado do anodo com menos intensidade.

O efeito anódico deve ser utilizado para posicionarmos a estrutura menos espessa do lado do anodo e a estrutura mais espessa do lado do catodo, dessa forma é possível ter um equilíbrio de densidade na radiografia. Por exemplo, em uma radiografia PA de tórax de uma mulher, o tubo de raios-x deve ser posicionado com o lado do anodo para cima e lado do catodo para baixo.

Se não for posicionado desta forma, por conta dos seios e da intensidade menor da energia do lado do anodo, a qualidade da imagem radiográfica ficará opaca.

Até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo