Mercado de Trabalho

Formação Técnica em Radiologia. Teoria ou Prática, Caminhos a Seguir (Parte 2)

Formação Técnica em Radiologia

Na elaboração das aulas o docente deve sempre dar atenção ao uso de vocabulário familiar ao aluno, para que o este considere o material com valor pedagógico, claro que com andamento do conteúdo, o educador deve introduzir gradualmente o vocabulário técnico principalmente em se tratando de Radiologia, pois área médica é farta no que tange aos vocábulos específicos deste segmento.

Esta teoria visa então dar ao professor um papel social juntamente com a escola, propiciando a facilitação da aquisição do conhecimento, na formação dos indivíduos levando sempre em conta a bagagem que este traz e a formação integral do ser.

“…O fator isolado mais importante influenciando a aprendizagem é aquilo que o aluno já sabe; determine isso e ensine-o de acordo”. “A aprendizagem significativa é aquela que se relaciona, interliga a aprendizagens realizadas, a conteúdos pré-existentes no sujeitos.“

David Ausubel, colocou sete passos como fundamentais na construção do conhecimento:

• Primeiro passo, é o SENTIR. Precisamos sentir o que vamos aprender. Nesse momento, estamos relacionando o novo com o que já sabemos e dando sentido ao conteúdo.
• Segundo passo é PERCEBER. Enquanto sentimos não conseguimos perceber. A percepção acontece quando observamos as características específicas do objeto (conteúdo).
• Terceiro passo é COMPREENDER. É nessa fase que construímos o conceito. Conceituar significa compreender as propriedades específicas do objeto e estabelecer um limite de aplicação dessas propriedades.
• Quarto passo é DEFINIR. Definir significa esclarecer um conceito. Precisamos ser levados a definir com nossas próprias palavras. O professor, nessa hora, deve auxiliar a construção da definição.
• Quinto passo é ARGUMENTAR. Argumentar é relacionar logicamente vários conceitos. A mola mestra da argumentação é a linha de raciocínio, somente possível a partir de conceitos bem construídos.
• Sexto passo é DISCUTIR. Discutir é construir uma cadeia de raciocínios através da argumentação. O valor do discurso é dado pela capacidade de desencadear transformações.
• Sétimo passo é TRANSFORMAR. Transformar é implementar um conjunto de ações que altere a realidade.

Desenvolvimento da Pesquisa

No desenvolvimento deste artigo, foram elaboradas aulas com objetivo de serem aplicadas na Turma de Radiologia segundo semestre Noite, da
Escola Estadual Técnica em Saúde no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA).

A turma é composta de vinte quatro alunos na faixa etária entre vinte um e cinquenta e um anos, sendo seis do sexo masculino e dezoito do
feminino. Durante as aulas, primeiramente, foi dado enfoque de busca de seus conhecimentos de base através averiguação simples de experiências prévias, assim pode-se fazer um “nivelamento” do grupo.

Após a turma estar nivelada, as aulas tiveram enfoque teórico e depois prático, num segundo momento os encontros tiveram a ordem inversa, ou seja, primeiro a prática, depois a teórica. Os encontros foram organizados da seguinte forma:

• As aulas de um a três foram de nivelamento e depois expositivas teóricas de técnicas radiológicas.
• De quatro a sete foram expositivas, práticas de técnicas radiológicas.
• Nas de oito a dez foram de avaliação individual, feita por redação, onde o aluno efetuou a resolução de caso problema apresentado.
• Já as de onze a quatorze foram aulas práticas participativas e supervisionadas, feitas em grupo pelos alunos.
• Aulas de quinze a dezessete foram aulas teóricas com pesquisa bibliográfica feitas em grupo pelos alunos.
• Já as de dezoito a vinte foram avaliativas, com elaboração e apresentação em grupo de estudo de caso desenvolvido pelos alunos, bem como foi respondido um questionário avaliativo sobre as metodologias aplicadas.

Assim primeiramente os alunos tiveram um fluxo da teoria para prática, depois inversamente da prática para teoria. Com relação às avaliações realizadas, no caso da teoria para prática o aproveitamento dos alunos foi o seguinte:

• 20 alunos tiveram entre 70 e 100 % de aproveitamento e
• 04 alunos tiveram até 69% de aproveitamento

Formação técnica
Formação técnica

Quando aplicado processo avaliativo após os encontros realizados da prática para teoria tivemos o seguinte:

• 14 alunos tiveram entre 70 e 100 % de aproveitamento e
• 10 alunos tiveram até 69% de aproveitamento

Gráfico 2
Gráfico 2

Os alunos também tiveram oportunidade de avaliar todo processo através do preenchimento de questionário em que avaliaram as metodologias,
neste tivemos os seguintes resultados:

Questionário:

1 – Qual sua avaliação dos conteúdos quando dados da teoria para prática, atribua uma nota:

a) de 05 a 06 (06%)
b) de 07 a 08 (14%)
c) de 09 a 10 (80%)

Avaliação Prática
Avaliação Prática

2 – Qual sua avaliação dos conteúdos quando dados da prática para teoria, atribua uma nota:

a) de 05 a 06 (05%)
b) de 07 a 08 (33%)
c) de 09 a 10 (62%)

Teoria
Teoria

Depois de avaliar os dados copilados, ficou claro que as aulas montadas e ministradas, sejam primeiro teóricas depois a práticas ou primeiro prática depois a teoria, ambas foram bem recebidas, recebendo mais de 90% notas de 07 a 10 ficando claro que ambas foram elaboradas com excelente grau de aceitação, porém quando aluno recebeu primeiro embasamento teórico, este demonstrou preferência pois avaliou esta metodologia com 80% das notas entre 09 e 10 contra os 62% quando as aulas foram da prática para teoria.

Com relação às perguntas 3 e 4 do instrumento avaliativo, vamos ver os dados abaixo copilados:

3 – Na sua avaliação qual em qual metodologia teve maior facilidade na aprendizagem

a) da prática para teoria (19%)
b) da teoria para prática (81%)

Metodologias
Metodologias

4 – Se pudesses escolher qual metodologia de ensino/aprendizagem escolheria?

a) da prática para teoria (24%)
b) da teoria para prática (76%)

Escolha
Escolha

Nos resultados demonstrados nos gráficos sobre os casos acima referidos, a maioria referiu ter maior facilidade no aprendizado quando primeiro é trabalhado primeiro com fundamentação teórica depois a prática, mas não podemos esquecer que, cerca de 20% dos alunos preferiram a
situação inversa.

Considerações Finais

Com este artigo, foi possível ver quão fartos e amplos são os caminhos a seguir, a seguir quando se fala em educação, permitiu também desmistificar o pré-conceito, que alguns têm que seja melhor para o aprendizado, trabalhar primeiro com prática e depois com a teoria, ao contrário tanto com relação ao aproveitamento como para os alunos, ao contrário estes elegeram como melhor estratégia ter sim fundamentação teórica antes da prática.

Porém como docentes não devemos esquecer que devemos pensar em “todos”, logo temos que mesclar nossas aulas com estratégias de ensino, que contemplem aqueles tanto quem têm maior facilidade com conteúdo da teoria para prática, como os que preferem as atividades práticas primeiro.

Até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo